Spaghetti tetrazzini

Não é novidade que somos fãs das receitas do Jamie Oliver, mas hoje trazemos a nossa preferida, da página mais usada e pegajosa do livro: apresentamos o spaghetti tetrazzini!

spaguetti tetrazzini

Parece só uma massa no forno, mas é tão mais do que isso. Por ser perfeita é das poucas que não alteramos e também por isso não escrevemos a nossa versão da receita. No geral apenas dupicamos a quantidade de parmesão, natas e de cogumelos porcini secos.

Não é uma receita muito apropriada para receber amigos, pois tudo tem que ser preparado e servido de seguida. Assim tornou-se num ritual só nosso: o corte dos ingredientes divide-se por dois, a garrafa de vinho branco alentejano abre-se logo que os tudo entra na frigideira e a conversa desenrola-se enquanto o cheiro a mangericão fresco invade a cozinha.

_DSC4217

 

 

 

Hamburgers de atum com salteado de couve chinesa

Há uns tempos fez-se cá em casa um jantar de sushi. Sushi, sashimi e gyozas, para sermos mais precisos. Como acabou por sobrar bastante peixe, transformámos o lombo de atum em hamburguers. Tendo sobrado também couve chinesa das gyosas, salteou-se para acompanhamento. Para tal inspirámo-nos na receita do Umai, mas, claro, o resultado ficou muito longe do original!

Hamburguers de Atum com couve chinesa

Hamburguers de Atum com couve chinesa

Ingredientes:

  • Atum fresco
  • 1 ovo
  • uma mão cheia de amêndoas
  • 1 colher de sobremesa de farinha maizena
  • farinha de trigo
  • cebolinho picado
  • sementes de sésamo preto
  • gengibre
  • sal
  • couve chinesa
  • côco ralado
  • açafrão
  • óleo vegetal

Tritura-se a amêndoa com a farinha maizena e o sal e coloca-se numa tigela. Tritura-se grosseiramente o peixe e mistura-se ao preparado anterior. Adiciona-se um ovo batido, o gengibre ralado, o cebolinho picado e as sementes de sésamo e envolve-se tudo muito bem até formar uma pasta. Formam-se pequenas bolas, passam-se por farinha, achatam-se e fritam-se, num fio de óleo, de ambos os lados, durante cerca de 4 minutos.

À parte, aquece-se um fio de óleo e frita-se o açafrão, o gengibre ralado e o côco. Adiciona-se a couve cortada em tirinhas e deixa-se saltear até a couve amolecer, mas não ficar em papa (isto leva cerca de 7 minutos).

Esta é uma daquelas receitas que permite fazer “marmitas” para levar para o almoço no trabalho. 🙂

Produtos Açoreanos

Somos fãs de Queijadas da Vila, de bolos lêvedos e de queijinho da Ilha. Díficil é encontrar os originais! O Café Saudade, que tinha bolos lêvedos fresquíssimos feitos por Açorianos de gema, já não os tem. A massificação destes bolos e de bolos do caco, acabaram com o negócio artesanal dos senhores, que tiveram que voltar às Ilhas.

Além do Espaço Açores na Baixa de Lisboa, encontrámos também uma lojinha em Sesimbra (que não calha propriamente em caminho) com produtos fantásticos. Conhecem outros spots para que possamos repetir lanchinhos destes?

 

Queijadas do Morgado e Bolo Lêvedo